Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

3 em Linha

-Blog familiar é só entrar com boa disposição- 😉

3 em Linha

-Blog familiar é só entrar com boa disposição- 😉

Umas velas de aniversário bem lavadinhas

Novembro 22, 2019

Ricardo Correia

Ontem, 21 de Novembro foi o aniversário do Xavier. O nosso pré-adulto completou os 17 anos. 

 

Como ele não é rapaz para grandes alaridos, fez-se um jantar pequeno em família, como de costume. Seguido das sobremesas e o respetivo bolo de anos, com o cantar dos parabéns e a entrega das prendas e, todo aquele ritual alusivo aos aniversários. 🎂

 

Também não convém que ele se estique muito no pedinchar das prendas, até porque o Natal está mesmo aí a chegar. É uma desvantagem daqueles que fazem anos perto do Natal, os pais dizem sempre "não peças muita coisa que logo logo é Natal".  Logo Logo estão a ver? Temos pena! Ninguém o mandou nascer antes do tempo! Porque ainda faltavam umas semanas para ele saltar cá para fora. Mas o bacurinho estava com pressa! É que assim, tinha mesmo nascido bem pertinho do Natal, e aí é que não levava mesmo prendas nenhumas. 😂 Só no Natal! Brincadeirinha, claro que não.

 

Terminada a festa toca de levantar a mesa e arrumar a bagunça. Eu atribuo a mim mesmo a tarefa árdua de arrumar a louça na máquina. Gosto de a pôr à minha maneira. Sabem quando parece que temos um manual na nossa cabeça e o seguimos à risca? Os copos ali, os pratos assim, os talheres assado. Ah, os talheres... Esses não se podem arrumar à toa, não não! Eu dou-me ao trabalho (qual maníaco-o-depressivo) de colocar os garfos todos juntos, as facas todas juntas, as colheres todas juntas, as colheres de café naquele quadrado do meio do cesto todas juntas, e por aí adiante. Já perceberem a cena triste, não já? Pois é... como eu costumo dizer... nasci assim, não tenho culpa! Ou como dizía uma amiga em tempos para mim... "Quando o juízinho vier, já não o apanha cá!" 😄 

 

Ontem segui como sempre o manual à risca. A máquina estava ali toda arrumadinha e pronta a pôr a lavar, quando observo em cima da banca as velas do bolo de aniversário do Xavier, todas besuntadas de massa e chocolate nos pés. Eis que me ocorre uma ideia deveras brilhante!

 

Mas porque raio hei-de eu estar a gastar água a lavar as velas à mão, se tenho aqui a máquina prontinha a lavar? Pensei eu para com os meus amigos botões, grandes conselheiros da idiotice. E assim fiz. Agarrei nas ditas cujas e coloquei-as no compartimento dos talheres do café. Ora ai está ela, agora sim completa e prontinha a lavar. E lá vai disto segue a marcha.

 

Passado um tempo a máquina pára, ao fim de realizar a sua grandiosa tarefa de nos poupar tempo e trabalho. Só acho que ela falha naquela parte final... é  que já agora podia arrumar a louça nos armários também! Mas enfim, não se pode ter tudo. Arrumo eu então toda a louça, também esta com uma ciência exata no sitio certo, e sigo para a parte dos talheres. É que nesta fase de atirar com os talheres para a gaveta nos diversos compartimentos, como ela no cesto da máquina já está dividida é só agarrar no monte e atirar para dentro da gaveta. Simples, rápido e eficaz! 😁

 

Mas nisto eis que me lembro? As velas! Onde raio foram parar as velas? Simplesmente desapareceram! 😮

Será que a máquina tem uma porta do cavalo e elas piraram-se para outro bolo? Pensei eu. Fui à maquina novamente e vejo se elas não terão caido para baixo do cesto. Ou perdidas pela máquina, ou enfiadas no filtro. Mas nada! Nem sinal algum das velas. Será que tenho que chamar a policia para participar um desaparecimento! 🤔 Não posso porque temos que esperar 48h até eles poderem ir procurá-las em parte incerta. 🙄

 

Não acredito nisto! Tenho que me armar em detetive e resolver este mistério! 😎 Vou novamente ao cesto dos talheres e observo bem o sítio onde tinha colocado as velas para lavar. Viro e reviro o cesto de cabeça para baixo e eis que... 🤗 tcharam... Encontrei... o pavio. 😱 Lá estavam os dois fiozinhos das velas enrolados ao cesto dos talheres, tristes, sós e nús. 😟 Despidos da sua veste branca como a neve, deprimidos como uma noiva sem o seu vestido de princesa! A cera da vela derreteu cano abaixo, abandonando o pavio à sua sorte. Oh! Triste sina a de um pavio. 

 

Portanto caros amigos, acreditem em mim quando vos digo por experiência própria. Quando quiserem que as velas dos bolos de aniversário fiquem bem lavadinhas, transparentes diria mesmo, quase cristalinas... é porem-nas na máquina de lavar louça. 😉

 

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Comentários recentes

  • Isa Nascimento

    Gostei desta partilha! O bom humor ajuda a alivia...

  • Mamã Gansa

    Parabéns ao Xavier. Huum e comprrar umas velas nov...

  • mariana

    Muitos parabéns Beatriz!

  • Ricardo Correia

    Meu caro amigo "sabe tudo" de facto existe muita g...

  • José Duarte

    Nunca vi tanta ignorância junta. Deveria de pegar ...