Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

3 em Linha

-Blog familiar é só entrar com boa disposição- 😉

3 em Linha

-Blog familiar é só entrar com boa disposição- 😉

A fada dos dentes - história semi-horror-o-infantil

Julho 29, 2019

Ricardo Correia

fadinha dos dentes.jpg

Recordam-se daquela mítica história infantil de que cada vez que cai um dente a uma criança, algum adulto palerma , se lembrou de dizer que vinha a fada dos dentes? Lá em casa entrou a fada dos dentes com o Xavier até ao último dente de leite. Pensávamos nós que a iríamos continuar a ver com a chegada da Ema na cegonha. Mas o que é certo é que nunca a mais a vimos! Será que ela perdeu o GPS? Ou tem uma bússola avariada e não dá com a morada!

 

Ontem, caiu mais um dente à Ema! E como tal, podem não acreditar mas cada vez que se dá um destes fenómenos é a choradeira total. Ela lá vai abanando o dente para um lado e para o outro, a ver se ele cai, mas sem sucesso. Então chega a uma altura em que vem ter comigo. E é assim que encarno uma das muitas profissões que os pais exercem com os filhos ao longo dos anos. Passamos de aprendizes a doutorados num ápice. Então é aqui, que visto a bata de dentista. E sem um mínimo de esforço, só com um pequeno toque fico com o dente nas mãos. Assim que ela vê o dente nas minhas mãos exclama muito intrigada "O quê! Já está?" Ao mesmo tempo que as lágrimas lhe rolam cara a baixo, e desata a correr para a casa de banho para bochechar. Nunca percebi o porquê deste trauma de perder os dentes. Até parece que alguém morreu.

 

Depois vem a segunda fase do drama. Que é eu a perguntar-lhe. Queres pôr o dente de baixo da almofada? Ui, mas o que é que eu fui perguntar?Mais valia ter posto o pé na bosta antes de abrir a boca. Quase que sou esbofeteado pelas palavras refilonas e indignadas que saem a toque de metralhadora.

Ema - "Que nojo dormir a noite inteira com isso de baixo da almofada!" 

Eu - " ...mas depois vem a fada dos dentes e troca o dente por uma moeda!" 

Ema - "Eu quero lá saber da moeda! Não quero é ninguém estranho a entrar-me pelo quarto a dentro durante a noite. Além do mais, por onde é que ela entra hã? Pela janela?" 

Eu - "Não ela é mágica..." 

Ema -"Não, não não! não quero nada disso na minha cama, nem ninguém no meu quarto!" 

 

Eu até percebo a bacurinha do meio. Uma fada pode ser um ente deveras arrepiante e medonho.

Se pensarmos bem, ela tem razão! Imaginar a cena é um bocado constrangedor... 

Porque raio alguém iria querer ter um estranho a entrar no nosso quarto à noite?

 

Vamos recuar ao tempo em que a Ema era bem pequenina para saber de onde vem o trauma?

 

O dentinho já se encontra debaixo da almofada e a Ema dorme que nem um bebé.

 

Não sabemos se vem a esvoaçar com as asas a brilhar, ou arrastar os pés meio moribunda, de quem está a pé a noite toda, cheia da sono! 

O silêncio paira no ar invadindo toda a casa. A fada, matreira e receosa para não ser apanhada olha em redor do quarto e observa o seu alvo. Lá estava a almofada que guarda por baixo o seu tesouro.

(Logo aqui, já estou com medo só de pensar em alguém a observar-nos)

 

Ouve-se uma respiração calma e lenta de quem está profundamente a dormir. 

Dirige-se para a junto da cabeceira da cama e, lentamente estende a mão para alcançar o tão afamado dentinho, que está sob a almofada.

(Bolas... e se a fada for uma bruxa má disfarçada e nos for ao pescoço?)

 

Com a mão trémula a fada no encalço do dentinho estica o braço deslizando-o para debaixo da almofada. Sente o dentinho e agarra-o forte, como alguém que conquistou um troféu. Neste preciso momento em que a fada agarra o dentinho, a Ema vira a cabeça e prensa-lhe os dedinhos, que lança de imediato um gemido de dor e três palavrões desenfreados. A mão da fada estava agora imobilizada como de baixo de uma rocha.

 

A sua face perde imediatamente o sorriso e incha escarlate de raiva! Puxa então o braço num safanão para se livrar da cabeça da Ema, fazendo-a acordar. Com o rosto invadido de terror e com o susto, a Ema lança um grito estridente, perfurando os ouvidos da fada que tenta esvoaçar dali para fora. Com o grito a fada é agora uma traça desnorteada sem conseguir alcançar a saída embatendo nas paredes, ora à esquerda, ora à direita.

A fada já com o dente preso na sua mão, lança pragas ao universo.

Que esta menina chore todas as vezes que lhe caia um dente!

AHHHAHHHHAHHH!

Uma década... Parabéns Ema

Abril 10, 2019

Ricardo Correia

IMG_20190410_202627.jpg

A Ema completa hoje 10 anos! À uma década atrás nasceu aquela que seria a bacurinha mais tolita. Sonhadora, divertida e muito complicada. 😄 A nossa Ema é um dilema, ou como ela nos corrige de imediato e se intitula de "A Ema é um poema". 😊 Tudo lhe faz confusão e fica sempre na dúvida sobre isto ou aquilo. 

 

De resto, tudo é bom para fazer um belo teatro, para gerar uma risada estonteante e alastrar boa disposição a todos os que estão com ela. Gralha por natureza como se pode ver no desafio do silêncio. 

 

Mas se os que estão à sua volta forem estranhos, então é a vergonha que se apodera da sua alma deixando-a retraida e calada, o que é coisa raaaara!

 

A nossa Ema é de verdade o nosso "poema". É o que enche a nossa casa de vida e alegria. Eu gosto de a picar quando ela está chata e rabugenta e acabamos os dois na risada ou com a mãe a dizer "pára chato! Deixa a miúda, não a piques". 

Afinal de contas ela sai ao pai. 😏

 

Olho nos olhos da Cláudia enquanto lê este rascunho emocionada, ao mesmo tempo que suspiria... "ai amor.! Estamos velhos!" 

 

Pois é ainda ontem éramos duas crianças sem saber nada da vida e hoje... Bem, hoje continuamos sem saber nada da vida, 😆 mas sabemos que temos que agarrar no leme e deixar-nos ir ao sabor do vento e orientar os nossos bacurinhos da melhor maneira possível para que cresçam felizes e se tornem adultos felizes. 😉

IMG_20190409_220617.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu também consigo!

Março 30, 2019

Ricardo Correia

Hoje o dia começou animado. Toda a gente saiu da cama cedo, empurrados pelo sol que espreitava pela janela. As miúdas aprontaram-se numa correria em direção à sala para ocupar o lugar VIP em frente à televisão para ver os bonecos. Primeiro que haja consenso entre as duas leva uma eternidade.

Porque a Ema escolhe um canal e a Beatriz apreça-se a dizer "não gosto desses bonecos". E logo a Ema resmunga "ai Bia! Assim não dá , nunca gostas de nada!"

Acho que o problema é mesmo haver muitos canais. Lembro-me de no meu tempo só haver a RTP e já era uma maravilha! 🤔 Não havia aquela coisa do não gosto! Não gostas, não vês. Pronto, tá decidido. 😃 Vai brincar que também é bom e saudável.

Lá chegam a acordo e sentam-se as duas sossegadinhas no sofá, à espera que o "mordomo pai" ou a "empregada mãe", lhes interrompam o sossego com a habitual pergunta do "que querem para o pequeno-almoço?" A escolha também nunca é célere. A Beatriz atira ao ar umas quantas coisas a ver se pega, mas sem sucesso. A irmã escolhe iogurte "de beber" e torrada, e a Beatriz imita-a no pedido. 

Vou então à cozinha e trago dois iogurtes, já me faço esquecido em perguntar qual o sabor  que preferem, porque senão é Natal e ainda estou à espera de uma resposta. Vou à sala e entrego um iogurte à Beatriz e outro à Ema. 

Ema - ó pai, tens que agitar o iogurte.

Eu - à pois, tens razão filha. Bia, dá cá o iogurte para o pai agitar. 

A Beatriz observa com atenção o meu gesto. Agito o iogurte abro a tampa e dou-lho para a mão, aberto, e quando viro costas a Ema pede ajuda para abrir o iogurte dela. Eis que depois ouço nas minhas costas, uma vozita endiabrada com ar importante, a dizer "eu também consigo papá, olha".

Ao ouvir estas palavras o meu cérebro iluminou-se como um flash, com a imagem do iogurte sem tampa. Só tive tempo de me virar de novo para a pirralhita, e esticar-me todo ao som da minha própria voz com um "nãaaaaaaaooooooooo" 😫.  Acho que toda a ação se passou em câmara lenta porque naquela fração de segundos não cheguei lá a tempo. Já só vi a parte final.

A Beatriz a agitar o iogurte aberto, e como consequência disso a sua carita já estava toda branca com os olhitos a piscar, muito direita a segurar no iogurte com muita força e a perguntar-se que raio tinha acontecido? Do teto chovia iogurte. 😱 De repente toda aquela área estava pintada de branco. Era o LCD a escorrer iogurte, o móvel da sala cheio de iogurte, o chão com poças de iogurte... 

Ouço o meu lamento final meio desapontado com um "ó filha! A sério?" 😟Quando pensei que ia desatar no berreiro choramingas, eis que lança uma gargalhada estridente super bem disposta e triunfante de quem sabe que fez asneira, mas o resultado final superou todas as expectativas pois foi super divertido. 

Claro que para o pai naquele momento não foi nada hilariante. Só aborrecimento de ter que limpar!

Mais tarde desatei-me a rir de mim próprio para aprender a lição de que a Beatriz está na fase de nos querer imitar e com aquela mania irritante de que já é crescida e que consegue fazer tudo sozinha. Mas só de me lembrar daquela carita toda branca só com os olhitos a piscar muito séria, já me dá uma vontade de rir...que ninguém imagina. 😂

 

O dia do Pai

Março 20, 2019

Ricardo Correia

Ontem como todos sabem foi dia do pai.

Infelizmente o trabalho não me permitiu estar em casa a horas "de gente" para receber as prendas das bacurinhas. Por isso hoje de manhã fui bombardeado com uma salva de euforia dos "bons dias". E com muitos "Papá isto, papá aquilo... Tenho uma prenda para ti, anda ver".

 

Eu até gostava de ver alguma coisa se não fosse de madrugada! Eram para aí umas sete horas da manhã...como disse, de madrugada. E com um olho semicerrado e outro quase fechado a ver tudo turvo, torna-se uma missão impossível.

 

Claro, que não tive tempo para resmunguices e fui arrancado da cama pelas bacurinhas, e então que remédio tive eu senão acordar à pressa e já de sorriso no rosto, para receber os presentinhos do dia do pai.

 

E que prendas maravilhosas que eu recebi! 😊

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Comentários recentes

  • Mamã Gansa

    Parabéns ao Xavier. Huum e comprrar umas velas nov...

  • mariana

    Muitos parabéns Beatriz!

  • Ricardo Correia

    Meu caro amigo "sabe tudo" de facto existe muita g...

  • José Duarte

    Nunca vi tanta ignorância junta. Deveria de pegar ...

  • Anónimo

    Obrigado Mariana. Fico feliz por proporcionar mome...