Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

3 em Linha

-Blog familiar é só entrar com boa disposição- 😉

3 em Linha

-Blog familiar é só entrar com boa disposição- 😉

Levei um ralhete da pirralha!

Fevereiro 21, 2018

Ricardo Correia

Andava eu entretido a arrumar tralha em caixotes quando, sou abordado pela minha pirralha mais pequena, a Beatriz, questionando a minha tarefa.

Bia - Papá que tá faxer?
Eu - estou a arrumar coisas nesta caixa.
Bia - Papá! Não pode faxer ixo. 🤨
Eu - Então porque Bia? 😑
Bia - blá blá blá... moneco meu... Vou dixer mamã... Blá blá blá... - refilava comigo à grande. 😡
Eu - ah! Este boneco é teu, é isso? 🤪
Bia - sim moneco meu. - lançou-me um olhar mortífero que até me arrepiei. 😥
Eu - pronto desculpa, leva lá o teu boneco para brincar.
Bia - dá cá moneco.
Eu - sabes que boneco é esse?
Bia - sim, é moneco!
Eu - não é isso, esse boneco é um índio.
Bia - índio! oh papá tolo... É um moneco!
Eu - uhm, pois é Bia é um boneco muito bem, vai lá brincar.
Continuei na minha tarefa de arrumação e vejo a Beatriz a vir para ao pé de mim.
Bia - olha papá, é um idio... Tou a bincar co idio.

Um passeio a dois

Fevereiro 20, 2018

Ricardo Correia

IMG_20180220_094807.jpg

Hoje parecia mais um daqueles dias em que tudo se iria manter igual aos outros.

 

A rotina do dia de aulas engloba o acordar os miúdos, vesti-los, dar-lhes o pequeno-almoço, e em seguida levar a Ema à Escola. O costume de muitas famílias.

A Beatriz vai também a reboque levar a mana e em seguida iremos para casa. Mas hoje não.

 

Ao estacionar o carro à porta de casa como é habitual saí do carro para a ir buscar e tirá-la da cadeirinha quando a Beatriz me surpreende.

 

Bia - pa caja não papá...

Eu - então! não queres ir para casa?

Bia - não caja não.

Eu - Queres ir a onde?

Bia - queio andar pé...

 

 

Fiquei meio atónito com este pedido mas acedi de bom grado, até porque o tempo nos presenteou com bom tempo e um sol maravilhoso quase a fazer lembrar a Primavera.

 

Então lá fomos os dois de mão dada pela rua abaixo direitos ao centro da cidade. Decidi fugir ao caos dos carros percorrendo as vielas da rota histórica de Leiria.

 

 

Pelo caminho fomos vendo diversas coisas que lhe chamavam atenção. Porque foi a primeira vez que a levei por aquele caminho para o parque. Geralmente descemos a avenida com lojas, que ela faz questão de parar nelas todas, para esmiuçar a montra toda. Então ficamos ali séculos infinitos a ouvi-la dizer "olha, uau, tão shiro? Vês papá!" E depois faz questão de mostrar a toda a gente e vai chamando a mamã, a mana, o mano, todos têm de ir ver a montra e aquilo que ela achou giro.

 

Então no seguimento deste cenário a Beatriz ficava encantada com quase tudo, até com uma porta de uma casa, ou janelas....

Bia - Olha papá um pota bemelha... 

Bia - Olha papá tantas janelas.

Eu - Sim Beatriz, pois tem, aqui é a Biblioteca.

Bia - Bioteca! 

Eu - É onde guardam os livros. Tem muitos livros aqui.

Bia - Libos! Uau! - Acho que ela aprendeu a dizer "uau" com os desenhos animados, então agora é a sua palavra de eleição. 

 

... Como se não bastasse até um gato apanhar sol lhe fez comichão.

Bia - Um gatinho...poxo fajer um feta, poxo, poxo?

Eu - Deixa o gatinho apanhar sol. Se fores lá ele foge.

Bia - Não foge não. - Claro que o gato saiu disparado dali para nunca mais o vêr-mos.

Eu - Vês! Fugiu, com medo de ti.

Bia - Tolo. Gato tolo.

 

Depois veio os piu-pius, desatou numa correria atrás das pombinhas.

Acho que todos nós já passámos também por essa fase de acharmos que se corrêssemos muito rápido apanhávamos as pombas. Para ela foi uma diversão de outro mundo. Se uma voasse corria de imediato para outra, e depois para outra feliz da vida.

 

Pelo caminho deparámos-nos com três pinturas excelentes de arte urbana que faço questão de partilhar aqui, com os meus parabéns aos artistas.

 

E acabámos o nosso passeio de meio da manhã na fonte luminosa junto ao parque, onde a Beatriz ficou que tempos a ver a agua da fonte a subir e a descer, com entusiásticos "uau".

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um utensílio indispensável no seu lar

Fevereiro 19, 2018

Ricardo Correia

Tampa de sanita.jpeg

Andava entretido a vasculhar um web site de utilidades para o lar, quando me deparo com este magnifico exemplar.

 

Nada mais nada menos do que uma... Tampa de sanita com luz. E não é uma luz qualquer, é LED. Económica e com grande durabilidade. Pelo menos na iluminação.

 

Se for daquele tipo de pessoas que tende em ir ao WC durante a noite sem ligar a luz, por que não quer acordar ninguém, mas pelo caminho vai batendo com a cabeça nas portas, ou os joelhos nas paredes, ou mesmo bater com os braços nos puxadores enquanto se dirige para o WC, ou mesmo para poupar luz, este produto é incrível porque lhe deixa sempre o seu destino iluminado.

 

Se por outro lado o seu traseiro for daqueles que tem medo do escuro, porque ao se sentar na sanita, o desgraçado ficava sempre na penumbra, agora vai certamente ser um cú mais alegre e eficaz, com luz que lhe ilumina o local de trabalho. Já para não falar que a taxa de sucesso aumenta significativamente pois deste modo acerta sempre no sítio certo.

 

Para aqueles mais avarentos, ou mais desconfiados que acham que a tecnologia LED, é só algo para encarecer as lâmpadas, e que aquilo ligado toda a noite só vai é gastar luz, não se preocupe que este maravilhoso utensílio, ainda trás um sensor de movimento, que liga quando a gente se aproxima da sanita e desliga automaticamente quando nos levantamos. Tal como aqueles holofotes de jardim anti-ladrões que se ligam assim que detetam a presença de alguém imobilizando-o, ou deixando-o temporariamente cego. Deste modo, se alguém ousar entrar em sua casa pela janela do WC, pelo menos fica paralisado durante uns minutos, completamente extasiado, ou aparvalhado, como se diz na gíria, com tamanha invenção anti-ladrões. E não é tudo! Ainda temos a possibilidade de escolher a cor que mais desejarmos, nomeadamente cada cor pode combinar com os tons do seu WC, e este lilás dá um ar bastante sombrio ao WC, bom para anti-furtos esporádicos.

 

À semelhança do que acontece em Paris quando aquele monumento histórico, chamado torre Eiffel se ilumina na noite a brilhar, e fica ali maravilhosa a sobressair na escuridão e consegue-se ver a quilómetros de distância, também agora cada pessoa pode ter na sua casa um monumento iluminado no seu WC. Sim, porque num WC certamente que a sanita é a única coisa que merece destaque, tornando-se um monumento. A única coisa que me faz confusão ao cérebro é como é que alguém detentor de um monumento em sua casa, está literalmente a cagar-se para ele! É triste. Já não há respeito nenhum!

 

Gostaria deveras de conhecer o idiota, idiota no sentido de ideologista visionário, e o criador de tal utensílio, porque esta foi certamente uma... ideia luminosa, de merda! No bom sentido da palavra.

Enfim!

Lady Bird: A Hora de Voar

Fevereiro 18, 2018

Ricardo Correia

LadyBird.jpg

Este filme conta a história de uma adolescente de dezassete anos, que estuda na escola secundaria católica e anseia por entrar numa faculdade, que lhe traga uma vida mais sofisticada. Ela procura aventura e romance, mas nada disso lhe corre bem. Chega a pontos de sonhar que é uma jovem com posses, embora na realidade viva no lado errado das trilhas, como ela própria afirma.

 

Entretanto Christine, adota o pseudónimo de "Lady Bird", e é assim que deseja ser chamada pela família e pelos amigos, assim como na escola.

 

À medida que a história avança percebe-se que todas as suas realizações saem goradas. Sem sorte no amor, sem sucesso escolar decente e certamente sem entendimentos familiares, já que o seu relacionamento com a mãe é demasiado atribulado e conflituoso.

 

Este filme é mais uma saga dramática, uma desilusão que Hollywood nos quis impingir, e mais uma vez um aborrecimento constante.

A história em si é fraca, não motiva, nem apaixona. Por mais que o filme se desenrole, não conseguimos identificar-nos nem ligarmo-nos às personagens.

 

Continuo sem entender como este filme foi nomeado para cinco óscares, e vencedor dos globos de ouro para melhor atriz. No meu entender um papel simplório sem nada para oferecer. Provavelmente pelos seus lindos azuis.

 

Elenco Principal

Saoirse RonanSaoirse Ronan 
    
Laurie MetcalfLaurie Metcalf 
    
Tracy LettsTracy Letts 
    
Lucas HedgesLucas Hedges 
    
Timothée ChalametTimothée Chalamet 
    
Beanie FeldsteinBeanie Feldstein 
    
Odeya RushOdeya Rush 
    
Jordan RodriguesJordan Rodrigues 
    
Marielle ScottMarielle Scott 
Shelly Yuhan
    
John KarnaJohn Karna 
Greg Anrue

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 cartazes a beira da estrada

Fevereiro 18, 2018

Ricardo Correia

3cartazes.jpg

 Ouvimos falar deste filme praticamente em todo o lado. Na televisão, nas rádios, na net. Parecia o filme do momento.

 

O filme é um Drama com D maiúsculo, que conta a história de uma mãe, problemática em fase de divórcio e vitima de violência doméstica por parte do marido, que a traiu com uma rapariga mais nova, bem mais nova, com idade para ser filha dele. Infelizmente como se isso não bastasse esta mãe ainda perde a filha, assassinada, violada e queimada, numa estrada secundária perto de sua casa.

 

A trama começa quando esta se apercebe da presença de três outdoors seguidos nessa mesma estrada, e decide colocar cartazes com letras garrafais, acusando a policia local e o xerife local, de nada fazerem para encontrarem o assassino da filha, e passado sete meses sem obter qualquer resposta ou avanço na investigação, decide assim espicaçar a policia local deste modo para não deixar esquecer o assassinato da filha.

 

Pelo meio gera-se uma data de mini-acontecimentos que pouco ou nada servem para a história em si. Como o xerife tirar a própria vida para que a vila a acusa-se a ela, por ter colocado os cartazes contra ele. Terem-lhe pegado fogo aos cartazes e ela os ter recolocado novamente, como vingança ela julga que foi os colaboradores da policia e pega fogo à delegacia de policia. Entretanto aparece um suspeito, finalmente, sem qualquer investigação feita e muito fugazmente iliba-se esse suspeito sem mais a acrescentar. E chegamos ao fim do filme, sem se encontrar o assassino. Uou brutal!

 

 

Basicamente para mim foi uma desilusão. Senão fosse pelo facto de ter visto o filme à tarde e com os estores para cima, teria adormecido a meio. Aborrecido, sem graça e, diria mesmo com uma história muito fraca, para os nomes sonantes de atores que participaram neste filme.

 

Dizia-se que apesar de um drama, pelo meio havia cenas engraçadas de humor. Sinceramente! Não vi a onde. Posso acrescentar mesmo, mal empregado dinheiro que gastaram a fazer este filme.

 

Curiosamente este filme foi nomeado para sete categorias dos óscares e curiosamente ganhou os globos de ouro como melhor filme de drama, e muito honestamente não consigo perceber esta escolha. Ou a indústria cinematográfica anda muito pobre em guiões, ou a academia não vê os filmes todos.

 

Elenco Principal

Frances McDormandFrances McDormand
   
Caleb Landry JonesCaleb Landry Jones
   
Kerry CondonKerry Condon
  Pamela
   
Sam RockwellSam Rockwell
  Dixon
   
Alejandro BarriosAlejandro Barrios
  Latino
   
Darrell Britt-GibsonDarrell Britt-Gibson
  Jerome
   
Woody HarrelsonWoody Harrelson
   
Abbie CornishAbbie Cornish
  Anne

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Comentários recentes

  • Isa Nascimento

    Gostei desta partilha! O bom humor ajuda a alivia...

  • Mamã Gansa

    Parabéns ao Xavier. Huum e comprrar umas velas nov...

  • mariana

    Muitos parabéns Beatriz!

  • Ricardo Correia

    Meu caro amigo "sabe tudo" de facto existe muita g...

  • José Duarte

    Nunca vi tanta ignorância junta. Deveria de pegar ...

Em destaque no SAPO Blogs
pub